Tarefas


T1 – BOAS PRÁTICAS INTERNACIONAIS DE REDES DE COOPERAÇÃO CULTURAL TRANSNACIONAIS

Esta tarefa visa atingir o O1 e contempla:

1.1) Recolha e análise de informação e de documentação resultante de uma ampla pesquisa de estudos anteriores realizados nos contextos nacional e internacional, de artigos científicos, de bibliografia relevante, de recursos online e de notícias dos media.

1.2.) Realização de entrevistas semiestruturadas, presenciais ou via internet, a informantes privilegiados nacionais e internacionais de forma a identificar as redes que os especialistas e profissionais do setor cultural e criativo consideram como as melhores práticas de redes de cooperação cultural transnacionais.

1.3.) Dinamização de focus groups para identificar os modelos de redes de cooperação cultural mais adaptados à realidade portuguesa.



T2 – REDES CULTURAIS PORTUGUESAS

Esta tarefa visa atingir o O2 e contempla:

2.1.) Recolha e análise de informação e de documentação resultante de uma ampla pesquisa de estudos anteriores realizados nos contextos nacional e internacional, de artigos científicos, de bibliografia relevante, de recursos online e de notícias dos media.

2.2.) Aplicação de um inquérito por questionário online a profissionais e organizações do setor cultural e criativo portugueses.



T3 – DENSIDADE E EXPRESSIVIDADE DAS REDES DE COOPERAÇÃO CULTURAL PORTUGUESAS

Uma vez que o O3 e o O4 procuram fornecer pontos de vista complementares sobre as mesmas organizações – as que integram o subgrupo das redes de cooperação cultural criado na tarefa 2, ou uma amostra representativa deste subgrupo se o universo for muito numeroso –, considerou-se que seria mais eficaz se fossem integrados numa mesma tarefa que contempla:

3.1.) Recolha e análise de informação e de documentação que permita uma caracterização mais profunda de cada uma das organizações, bem como dos membros que as integram.

3.2.) Observação direta de um conjunto de atividades dinamizadas pelas organizações com o objetivo de apreender as suas dimensões comunicativa e simbólica.

3.3.) Aplicação de um inquérito por questionário online a todos os membros das organizações com o objetivo de recolher informações sobre o sistema de comunicação e as caraterísticas de cada uma das redes que, com recurso a um software específico, vai permitir efetuar uma análise holística à rede de redes de cooperação cultural portuguesas.

3.4.) Uma entrevista de elite presencial em cada uma das organizações para compilar informação adicional, nomeadamente no que se refere à estratégia e sistema de comunicação interna e externa.

3.5.) Dinamização de um focus groups que reunirá duas vezes com os representantes das organizações para discussão interna sobre os resultados da tarefa e sobre propostas de melhoria.



T4 – DINÂMICA E TRANSNACIONALIDADE PARA AS REDES DE COOPERAÇÃO CULTURAL

Esta tarefa contempla:

4.1.) Criação de um painel de auscultação, inspirado na técnica Delphi e composto por vinte personalidades internacionais com experiência relevante em redes de cooperação cultural transnacionais, com o objetivo de recolher contributos sobre as estratégias futuras mais adequadas para se atingir o O5 face ao diagnóstico efetuado.

4.2.) Criação de dois focus groups compostos por profissionais e organizações do setor cultural e criativo portugueses que reunirão regularmente ao longo de um ano para discussão e avaliação de um conjunto de propostas que concorram para o O5.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s